09/01/2014

URGENTE!!!

|| || 7 comentários ||
Ola Pessoal
Eu acredito que algumas pessoas tem um dom especial e outras não tem o dom pra aquela coisa que as outras pessoas tem o dom...bom ta meio confuso ne? Vou explica a vocês
 Espero que não fiquem com raiva ou decepcionados comigo.
Bom estou postando pra avisar que eu não vou mas posta no blog :(
É estão acontecendo coisas...coisas ruins comigo e eu não estou com mas tempo para o blog,então resolvi avisar a vocês meus leitores divos.
Espero que não fiquem tristes...não quero ninguém triste.
 Existem várias fics melhores que as minhas
Talvez isso seja um adeus...ou só um tchau temporário.
São tantos problemas que as vezes enche,pai brigando,vó brigando,mae brigando...mas não vou fica falando dos meus problemas pra vocês por que seria muito triste.
Então é isso que tenho a dizer a vocês
 Quero agradece a todos meus leitores, eu adoro vocês <3
Tambem quero agradece a Renatta Cheron,foi  ela quem teve a ideia de fazer o blog e eu a Agradeço muito por que agente se divertiu muito com isso.
Mas acho que agora é o Adeus...então Adeus pessoal eu gostei muito de escreve essas fics e compartilha elas com vocês :)
Adeus...
PS;não vou desativa o Blog

17/12/2013

Boas e más noticias sobre One Thing

|| || 0 comentários ||
Bom Meninas eu estava vendo os comentários e vir que muita gente que a volta de One Thing e bom eu pensei muitos e vou voltar a posta One Thing \o/ yeeeep
Mas tem uns porém
 1 - só vou começa a postar em janeiro
2 - vou postar 2 capítulos por semana
3- não fiquem com raiva de mim ser eu não consegui postar
 É são esses :D
Eu também quero pedi Muito Obrigados a vocês meninas que mesmos eu não postando vocês ficaram comentando isso me alegra muito em ><
Eu simplesmente amo vocês
 <333 vocês estão o meu core suas lindas cenorinhas :3
Bom foi isso ><
E sim quem quiser falar cmg meu twitter é esse @Tommordida_1D
Então foi isso Malikisses pra todas e um Feliz Natal e Ano Novo \o/ adiantado heueheueehu tchau :*


TDKAU - Capitulo 02 - Song

|| || 3 comentários ||

So let's sing na, na, na, na, na, heya
c'mon let's sing na, na, na, na, na, heya - Camp Rock - This is Our Song


* Na Hora da Saida *

estavamos todos do lado de fora da escola,estavamos indo pra minha casa na maior bagunça esses meninos bagunçeiros eu em.acho que tem algo rolando entre a Leila e o Niall eles estão muito grudados e com muitos sorrisos,a mesma coisa com a Tae e o Zayn.
bom vou dizer como esta os casais do momento
Leila e Niall estão de mão dadas <3 no maior amor e Zayn esta segurando a cintura de Tae essa dai gosta de uma boa pegada 
bom e eu e o senhor louis não estamos nada nem abraçados ou de mãos dadas nada '-'
Chegamos na minha casa,todos sentamos no sofá
Eu:Bom vamos começa,quem vai ser o primeiro ou primeira?
Tae:eu começo.pode ser?
Eu:pode sim.sorri
Ela se ageitou no sofá e começou a cantar.
Eu já ouvi ela cantar aquela musica,a Tae tem esse dom de sabe cantar e compôr musicas.o nome da musica era The Climb,a letra dessa música é de tocar qualquer um.
Quando ela terminou de cantar,sorriu.todos estavam maravilhados com aquela música. o primeiro a comenta foi o Zayn
Zayn:Wow Girl você canta muito bem.ela sorriu
Louis:Zayn esta certo você arrasou Tae.
Niall:sua linda que musica perfeita.Zayn encarou Niall
Zayn:hey ela é minha viu,MINHA.Rimos
Liam:calma Zayn ele só elogiou a Tae já sabemos que ela é sua, mas ela cantou muito bem.
Harry:ela foi incrível.
Eu:da licença por que a amiga dela sou eu e a Leila.não duvidava nada que ela ia ser incrível agora.risos
Leila:é mesmo ela sempre vai ser diva.
Acho que a Tae estava mas vermelha que um pimentão
Tae:vocês falando assim eu vou me senti uma diva.risos
 Eu:quem é o próximo?
 Leila:Eu.
Ela começou a cantar La la land,é uma música que ela fez faz muito tempo acho que foi a 1 ano atrás.
 Eu não sei como ela consegui chega nesses agudos são muitos perfeitos,ela tem uma voz muito potente.
A musica chegou ao fim,todos os Meninos estavam assim 'O'
Niall foi o primeiro a fala algo
Niall:OMG que voz perfeito você tem princesa eu to impressionado.ela sorriu com muita vergonha e arbaixou a cabeça
 Zayn:olha o que você fez nialler deixou a menina com vergonha. Leila sua voz é linda,seu agudo Jesus que perfeito.Risos
Harry:Mandou muito bem Leila perfeição.
Liam:sem palavras foi perfeito.
Louis:Incrível merece aplausos. ele aplaudiu Leila e todos imitaram ele
Tae:arrasou Leila você é perfeita garota.
Eu:minha linda,perfeita você leila quando você vira uma cantora não se esqueça dre mim vou querer um autógrafo. ela riu
Leila:vocês estão me deixando sem geito.todos fizemos um owwwn
Eu:agora é os meninos, vamos la One Direction nos mostre do que são capazes.risos
Liam começou a cantar,depois foi o Harry e logo depois Zayn ai logo foram todos.
Meu deus que vozes são essas eu estava tipo 'o' acho que a música se chamava One Thing.na parte do Louis ele me olhou e eu senti minhas bochechas queimarem.
Quando terminaram de canta nos olharam
Eu:Nossa que...Perfeito.eles sorriram
Leila:meu deus me segure,vocês são desse mundo mesmo? Rimos
Tae:Cantam muicho vocês.
Liam:obrigado meninas.
Harry:acho que agora só falta você pequena.ele tinha que me Lembra disso
Eu:e-r acho melhor nao-o.merda gaguegei
 Louis:nada disso você vai canta sim mas hora.OK é agora ou nunca
Eu:ta bom eu canto mas já vou logo dizendo que eu não se...
Todos:CANTA LOGO S/N.
Eu:ai calma eu em que estresse.
Eu não ia consegui canta de olhos abertos então Fechei meus olhos e comecei a cantar A Year Without Rain.eu compôs essa canção a anos,foi na época que o Louis foi acho que a música descreveu tudo que eu estava sentindo naquele tempo.
Parei de cantar abro meus olhos todos olharam pra mim
Eu:falem algo,vocês estão me deixando nervosa.
Todas:wooow.eu ri com aquilo
Louis:indireta vinda com sucesso. rimos
Harry: sua voz é tao calma acho que me apaixonei. risos
Liam:temos aqui meninas de ouro.sorriu
Niall:além de lindas cantam que perfeitas.
Zayn:Perfeita.
Leila:estamos todos preparados.sorriu
Tae:eu sei que vou ganha.risos
Harry:meu deus uma zayn fêmea. rimos muito
Zayn:hey eu não sou convencido. deu língua
 Louis:claro que nao só fica na frente do espelho falando " que lindo você malik quem é o gostosao dessa banda é sou eu" ele falou imitando a voz do Zayn o que fez todos rimos
Leila e Niall:to com fome.eles falaram juntos
Eu:quero novidades por favor.eu vou fazer uma coisa rapidinho pra gente.
 Foi pra cozinha,vou fazer macaronada.
 Depois de 15 minutos a macaronada estava pronta,chamei o povo e formos almoça.
 Depois do almoço ficamos conversando mas um pouco até os meninos irem pra casa ficando só eu e as meninas
...


Olá meninas que saudades de vocês, queria pedi desculpa nao ter postado esse meses mas vou volta a postar \/ me desculpem mesmo meninas tinha acontecido muita coisa ai não deu pra postar mas OK ai esta espero que gostem
 Um beijao sua lindas 


:







25/10/2013

Imagine Hot Liam Payne

|| || 14 comentários ||


Eu e Liam somos amigos desde os oito anos do garoto. Eu ainda morava em Wolverhampton, mesmo Liam oferecendo uma casa pra que eu morasse em Londres. Ele falava que precisava da melhor amiga mais perto. Principalmente agora que estava separado na namorada que tanto dizia amar. Mas eu teimava em recusar, fazia uma viagem por mês para encontra-lo e costumava ficar um final de semana, hospedada em hotel. Não queria ficar na casa dele e acabar encontrando a namorada dele de calcinha e camiseta. Ou acabar ouvindo o que não devia à noite.

Entretanto, dessa vez eu ia ficar lá, na casa de Liam. Fazia uns sei lá, dois meses que ele estava “solteiro”, então não corria o risco de esbarrar na namorada dele. Mas havia o risco de encontrar alguma groupie seminua por lá. Liam garantiu que não era esse tipo de garoto, antes eu aceitaria de boa, eu confiava no Liam. Eu sabia que ele não era esse tipo de garoto, mas vai que ele mudou com essa fama toda?

Apertei a campainha da casa dele. E um Liam sonolento e de cueca samba canção abriu a porta. Olhou surpreso pra mim, piscando muitas vezes.

– Estou sonhando? Ou minha melhor amiga está realmente na minha porta? – ele me abraçou bem forte.

– Estou aqui sim Liam, agora me solta que estou sufocando. – disse contra seu peito.

Ele me soltou e me puxou pra sala, me empurrou no sofá e saiu falando apressadamente em direção a cozinha. Eu apenas ri.

Ele voltou de lá com um pote de biscoitos de chocolate e uma garrafa de Coca-Cola. Sem copos, não tínhamos nojo um do outro. Sentou-se do meu lado e começamos a conversar, colocando as novidades em dia. O tempo foi passando até que Liam disse que ainda estava com sono. Ele queria dormir, e, me arrastou – novamente – pela casa. Levando-me até o quarto dele, onde ele se deitou e pediu que eu fizesse cafuné até ele dormir. E eu me sentei ao lado dele e fiquei fazendo os carinhos. Ele dormiu e eu também.

Acordei com beijos no meu pescoço, o que foi realmente estranho. Muito estanho. Abri os olhos e vi Liam sorrindo pra mim.

– Sempre quis tentar isso. – e me beijou, fui pega de surpresa e acabei retribuindo.

– O que foi isso? – disse após o beijo. Eu não estava arrependida, eu estava era é feliz!

- A culpa não é minha se você continua a mesma gostosa de sempre. - ele riu. Aquilo foi realmente engraçado, eu nunca imaginei que Liam falasse ‘gostosa’.

Liam passou a mão pela minha bunda, parando para apertar com força. Ele continuou o caminho passando as mãos pelas coxas e parou, apertando elas com mais força. O corpo de Liam estava deitado sobre o meu, empurrei ele de leve, eu queria ficar sobre o corpo dele, agora.

Recomeçamos os beijos. Dessa vez com mais paixão, porém selvagens e cheios de segundas, terceiras, quartas, quintas e sextas intenções. Subi em cima dele, passando as mãos desde as coxas até o abdômen. E que abdômen em? Anos de boxe, corrida e academia deixaram aquele menino fofinho nessa gostosura…

Continuamos se beijando até que Liam partiu o beijo para tirar a minha camiseta, revelando meu sutiã azul turquesa nem um pouco sexy. Liam ficou me encarando com cara de bobo até que eu voltei a beija-lo. Ele se sentou, ainda comigo no colo. Liam levou uma das mãos para as minhas costas, enquanto a outra se ocupava em apertar os meus seios, fazendo com que alguns gemidos escapassem da minha boca. Ele trilhou um caminho de pequenos beijos da minha boca até o colo, passando pelo queixo e, principalmente, pelo pescoço. Lá ele deixou vários chupões, ciente de que alguns virariam marcas escuras no outro dia, e ficou orgulhoso de si mesmo. Enquanto marcava o meu pescoço com chupões e leves mordidas, ele puxou levemente os meus cabelos, para lhe dar mais espaço no pescoço, o que fiz de bom grado. Apertou-me mais contra si mesmo, tentando eliminar todo e qualquer espaço existente entre nós, mas ainda tinha um problema: eu usava mais roupas do que ele.

Liam virou-me ficando por cima. Continuando com os beijos e chupões no pescoço, descendo-os para o colo e, por fim, tirou o meu sutiã. Imediatamente começou a chupar os meus seios, fazendo-me gemer mais alto. Enquanto no seio direito intercalava chupadas, mordidas e lambidas, no esquerdo ele usava uma das mãos para massagear. Liam parou o que estava fazendo e fitou meu rosto, dando um sorriso malicioso. Então começou a fazer uma trilha de selinhos na minha barriga, descendo até o cós da minha calça. Tirou a calça junto com a calcinha, começando a fazer movimentos circulares com o dedo no meu clitóris, ao mesmo tempo em que passava a língua por entre os meus grandes lábios. Levei minhas mãos até os cabelos dele, bagunçando e dando leves puxões. Liam diminuiu a velocidade, me fazendo gemer o nome dele. Depois de alguns minutos assim, eu já me contorcia de prazer e pedia por mais. Quando percebi que já estava chegando lá, apertei os ombros dele com força, ele parou. Pa-rou. E riu! Riu de mim!

Não aguentei e o puxei pra cima de mim, roube um selinho e o joguei na cama, ficando por cima dele. Apoiei minha perna uma de cada lado do corpo dele. Distribui chupões leves em seu pescoço, e então comecei a dar vários selinhos, descendo, fazendo uma trilha até a cueca dele. Parei e vi Liam de olhos fechados, já imaginando o que aconteceria. Dei uma risada baixinha e tirei logo aquele pano. Subi minhas mãos pelas coxas internas, o arranhando durante o percurso. Posicionei minha mão na base do membro dele e comecei a movimentar pra cima e pra baixo, pra cima e pra baixo… Quando ouvi ele gemer meu nome, aproximei minha boca da glande, soprando um pouco. Então a coloquei na boca. Comecei a movimentar a cabeça de acordo com a mão, eu trabalhava em conjunto. Comecei a dar mais velocidade, como recompensa eu ouvi Liam gemer meu nome cada vez mais. Quando senti que ele já estava quase lá. Parei, Liam me olhou com uma expressão feroz, eu só consegui rir.

Liam me envolveu nos braços, me forçando a deitar na cama. Os meus seios estavam quase sendo esmagados pelo peso do Liam, que procurava algo na gaveta. Uma camisinha. Após ele coloca-la me penetrou com força, me fazendo parar de rir. Os movimentos eram fortes e lentos, me fazendo rebolar no mesmo ritmo. Depois de um tempo fechei os olhos, me entregando ao momento. Gemíamos cada vez mais alto, mas não conseguíamos parar. Liam acelerou os movimentos, começando a gemer mais alto – se é que era possível. Eu via o nosso ápice chegar. Chegaríamos lá junto…

Então algo estranho aconteceu, eu comecei a ouvir uma voz feminina e senti cutucões no meu braço.

– Senhorita, senhorita – me forcei à abrir os olhos. E vi uma senhora de aparentes 70 anos me encarando. – Já chegamos a Londres.

E tudo não tinha passado de um sonho erótico com meu melhor amigo.


FIM


AS Liam Girl's vão pira nesse aqui uhsaushas achei tipo wow 'o' uhuasas

Imagine Hot Niall Horan

|| || 7 comentários ||


Ela me provocava. Me provocava demais para o seu próprio bem.
Não que ela fizesse algo proposital em todas as vezes. E esse era o maior problema: quando ela agia naturalmente, como se eu nem estivesse presente na sala.
Como agora que, com o calor infernal que fazia, ela havia aberto os primeiros botões de sua camisa social feminina, deixando o topo de seus seios grandes e certamente macios à mostra enquanto assoprava o vale entre eles.
Bem na minha frente.
Semana passada ela ficou até o último segundo dentro da sala de aula, apenas eu e ela. Quando percebeu que eu estava para ir embora, arrumou suas coisas e caminhou comigo até a porta, comentando sobre a aula que havíamos tido e falando como ela era fascinada por essa época dos medievais. Coisas normais para se comentar com o professor de história, claro. Mas foi aí que a surpresa veio: no momento em que íamos passar pela porta, ela se esfregou descaradamente contra a minha cintura, fazendo com que sua bundinha empinada e coberta pela curta saia de pregas da escola roçasse indiretamente no meu membro.
Logo depois disso ela sorriu e saiu andando, despedindo-se de mim e seguindo o percurso contrário do meu. Assim, como se fosse normal ter uma aluna se esfregando no professor quando a porta é larga o bastante para os dois passarem sem nem se encostarem.
E esse negócio de “professor e aluna” era horrível. Só de olhar para uma aluna indevidamente ou tocá-la de maneira imprópria eu já poderia ter minha carreira completamente arruinada! Uma das coisas que eu agradecia diariamente por não existir era a punição ao professor que pensasse em uma aluna de maneira inapropriada, pois aí sim eu ia ter com que me preocupar.
Eu sou um homem de trinta e seis anos, solteiro e completamente viril, do qual tem que se controlar toda vez que vê essas crianças com um corpo que não deveria pertencer a elas todo dia. Não que eu fosse um ninfomaníaco, mas além de (S/N), deveria ter mais umas dez garotas que aparentavam ter dezoito anos e não apenas dezesseis.
Sendo que (S/N) me cativava tanto pelo simples fato de ser a única que me provocava e a única que me fascinava! Estava cada vez mais difícil lidar com ela sem demonstrar o desejo doentio que sinto.
Respirando fundo, eu olhei para a cara do aluno que veio até a minha mesa e respondi sua dúvida. Assim que ele se afastou, meus olhos caíram quase que incontrolavelmente na loira/morena/ruiva sentada a duas cadeiras da minha mesa.
Ela continuava assoprando o seu colo e prendia o seu cabelo longo em um coque no alto da cabeça, fixando-o com um lápis. Ao fazer isso, ela deixou à mostra seu pescoço esguio, assim como o seu decote sem fio algum no caminho.
(S/N) estava compenetrada no exercício que eu havia passado, escrevendo a toda hora em seu caderno e procurando as respostas no livro. Seus lábios eram constantemente mastigados quando estava escrevendo e ela suspirava, olhando para o relógio e provavelmente de saco cheio com os exercícios que eu era obrigado a dar para deixar a turma em silêncio.
O sinal bateu e todos que haviam recebido meu visto saíram de sala, enquanto alguns alunos permaneceram para terminar o trabalho. E para a minha felicidade – ou não –, (S/N) fazia parte desse grupo.
Seus grandes olhos (cor dos seus olhos) ficaram presos entre um semblante raivoso por eu não tê-la deixado sair e em seus lábios formou-se um ligeiro biquinho, que me fez sorrir automaticamente. Dois alunos me deram seus cadernos e eu fiz o meu rabisco, liberando-os para sair. Faltavam dois e mais a (S/N).
Ela começou a escrever rápido, mas ao ver que errava mais fazendo isso, acabou desistindo com um suspiro. (S/N) passou a olhar para a garota que havia acabado de receber meu visto e a seguiu com os olhos quando a menina saiu. Depois disso ela me olhou de maneira inquisitória, fazendo bico pra mim.
Sorri de novo com aquela birra toda.
Lilly demoraria alguns minutos, já que ela copiava tudo rapidamente e só havia ficado até agora porque conversava quase o tempo todo. (S/N) levantou os olhos para o relógio e suspirou pesado, percebendo que havia se passado quinze minutos desde o término da aula.
Percebi a ruiva guardar suas coisas na mochila e trazer o caderno para mim, que logo foi assinado e entregue para ela. Lilly parou na porta, virando-se e falando para (S/N) andar logo com o que fazia.
- Pode ir na frente, Lil. – (S/N) respondeu cabisbaixa.
- Okay! – a ruiva cantarolou, atravessando a bolsa no ombro. – Tchau, professor lindo. Nos vemos semana que vem sem todos esses exercícios chatos.
- É só você ficar quietinha durante a aula. Aí eu não passo nada. – respondi, rindo.
- Claro... Sempre a culpa é minha. – ela resmungou, abrindo a porta. – Eu sou a sementinha do mal, né! – gritou do corredor e eu sorri, balançando a cabeça e olhando pra (S/N), que ria também.
Quando ela percebeu que a sala toda estava vazia, com exceção de nós dois, suspirou novamente e me olhou piedosamente com seus olhos (cor dos seus olhos) e levemente maquiados.
— Por favor, professor Horan, me deixe ir. — ela pediu, chorosamente. Sorri e dei de ombros.
— Quando terminar você pode ir.
— Mas eu vou demorar horas! O senhor passou trinta exercícios eu ainda estou no dez! — ela quase gritou mexendo as mãos.
— Lilly não havia feito nada até o fim da aula e terminou.
— Ela copiou do Josh! — (S/N) gritou de novo completamente indignada, o que me fez rir de leve. Ela ficava ainda mais sexy com raiva. — Eu estou olhando no livro pra fazer.
— Eu não a vi copiando de ninguém. — disse, mesmo sabendo que o que a garota falava era verdade. Eu havia visto o nerd dar seu caderno para Lilly.
Mas quando ela havia pedido com tanto jeitinho, sussurrando e acariciando a perna do rapaz, acho que foi impossível de ele negar.
— Claro que viu! — ela murmurou mais irritada. — O senhor vê tudo! Até quando estamos nos abanando deve reparar. — ela respondeu com a respiração ofegante e um pouco vermelha.
Seus seios subiam e desciam rapidamente, aparecendo e sumindo entre o pano branco de sua camisa. Ergui a sobrancelha, não sabendo realmente se ela havia dito aquilo para provocar ou não.
— Bem, não, eu não vejo tudo. — respondi sutilmente, apenas para ver sua reação, como se não fosse comigo.
Ela mordeu o lábio inferior, olhando para mim por de baixo de seus longos cílios. Quando percebeu que eu ainda a encarava e estava decidido a não entrar no seu joguinho, ela mudou de tática. Pelo menos era assim que eu pensava.
— Já se passou quanto tempo? — ela ainda me encarava, sem nem ao menos se dar o trabalho de olhar para o relógio que ficava acima da minha cabeça.
— Meia hora. — respondi, olhando rapidamente para o relógio do celular.
— Meia hora? Todo mundo já deve ter ido embora agora! — Ela bufou, ignorando por completo o dever na sua frente.
— Não vai fazer?
— Não enquanto eu estiver com calor.
De um jeito mimado, ela cruzou os braços por baixo de seus seios, fazendo-os crescerem para fora do decote. Perdi alguns segundos fitando aquele local.
— Mas o que eu posso fazer? O ar condicionado está com problema.
— Ele não está com problema. — ela disse, bufando novamente, enquanto se levantava e puxava a ponta de sua saia, que mal chegava à metade de suas coxas. — Essa é a desculpa que a diretora dá quando a conta de luz fica cara demais.
— Como você sabe? — perguntei intrigado e admirando suas pernas grossas e torneadas, com suaves pêlos dourados na coxa.
— Assim. — ela sorriu como quem sabia das coisas e foi até a parede esquerda.
Chegando lá, (S/N) parou em frente a uma carteira que ficava debaixo do ar condicionado. Pensando durante poucos segundos, ela puxou a cadeira e subiu, levantando em seguida sua outra perna e subindo na mesa.
Engoli em seco quando ela fez isso. A carteira em que ela estava ficava a poucos metros de mim, o que fez com que eu visse com perfeição o que havia sob sua saia. Pude perceber que era uma micro-calcinha vermelha, perdendo-se entre suas nádegas brancas e fartas.
Como eu disse, ela sabia como provocar.
Ela ficou nas pontas de suas sapatilhas pretas, fazendo sua perna grossa e desenhada pela meia que ia até o meio de suas coxas ficasse tensa e mais definida que o comum. Sua mãozinha delicada foi até o botão do ar condicionado e com um pouco de esforço ela conseguiu pressionar o botão, logo ficando na posição normal novamente e fazendo o som do aparelho preencher a sala.
— Viu? Funciona! — ela disse com um sorriso orgulhoso.
Ela estava indo até a ponta da mesa para descer, mas antes de chegar ao final se desequilibrou e eu, por puro instinto, me levantei e corri até ela, agradecendo pela mesa ser logo do meu lado.
(S/N) caiu sobre meus braços e eu agarrei em sua cintura, tentando me manter equilibrado. O que certamente não aconteceu.
Assim que me virei, acabei tropeçando e caindo no chão com ela em meus braços. Não esbarrei em nenhuma mesa e nem me machuquei, mas mesmo assim estava preocupado com a garota sobre o meu corpo.
Ela tinha as mãos sobre meus ombros e a cabeça na curva do meu pescoço, fazendo sua respiração quente e acelerada bater contra minha pele sensível e arrepiar meu corpo por completo.
Seu peito prensava o meu e suas pernas estavam entre as minhas. Senti minhas mãos sobre sua bunda, já que sem querer, escorregou na hora do acidente.
— Eu... Me desculpe... — ela levantou a cabeça, me olhando com o rosto vermelho de vergonha.
Sua respiração ainda estava afetada e eu sorri tentando acalmá-la, mesmo que eu não estivesse calmo.
— Sem problemas.
Tentei me mexer e gemi um pouco de dor, fazendo-a se assustar diante do meu rosto.
— Meu Deus! — ela exclamou, colocando as mãos na boca. — Você se machucou? — Neguei com a cabeça, mas nesse momento, ela se mexia sobre meu corpo. Bem, exatamente entre minhas pernas. — Eu estou te machucando? Oh Deus, eu sou muito desastrada, juro que não foi minha intenção, o senhor não podia ter vindo até mim, meu Deus. — ela disse novamente, apalpando meus braços e peito, como se tivesse tentando achar um lugar ferido.
E certo, a cena estava um tanto tensa. E cômica. Afinal de contas, ela completamente inconsciente, mexia-se sobre o meu membro já afetado só pela sua presença. Sei que pode parecer ridículo, mas aquilo estava sendo muito excitante e vergonhoso para um professor como eu.
— (S/N), (S/N), por favor, não precisa...
Tentei pará-la, mas ela não deixou, voltando a se mexer sobre meu corpo e agora me fazendo gemer de novo. Mas não de dor.
— Não! Eu te machuquei! — ela exclamou de novo. — Desculpe professor, desculpe de verdade. — ela disse, sem parar um minuto de se mexer. Respirei fundo, tentando controlar todo o meu corpo. Mas percebi que foi em vão. — Você caiu de costas, deve ter machucado a sua... — ela parou de falar, já que percebeu o que eu já tinha percebido. Suas mãos agora estavam ao lado do meu corpo, se apoiando, e seu rosto estava diretamente sobre o meu. Ela arregalou suavemente os olhos e perdeu a respiração quando novamente roçou sobre meu membro duro. Senti minha respiração mais acelerada e meu rosto esquentar pela vergonha.
— Professor Horan, o senhor realmente está... — ela começou, tentando olhar entre o pequeno espaço que havia entre meu corpo e o dela. — Duro por mim? — perguntou inocentemente, como se estivesse perguntando se eu poderia lhe emprestar um lápis.
Engoli em seco, não sabendo aonde enfiar minha cara diante daquela situação medíocre que eu me encontrava. E a coisa só tinha a piorar, já que ela novamente mexeu sua coxa contra ele e novamente me chamou de professor Horan.
Essas duas palavras me matavam toda vez que saíam de sua boquinha delicada e certamente deliciosa. E esse não era o modo que eu queria que as coisas acontecessem.
Não que eu estivesse reclamando.
— (S/N), não me entenda mal, é que... — tentei me desculpar, mas ela riu suavemente e me encarou, sorrindo.
— Eu não estou te entendo mal, professor Horan. — ela disse, ajeitando-se sobre o meu colo e colocando cada uma de suas pernas ao lado da minha cintura. — Na verdade, estou compreendendo perfeitamente bem.
— (S/N), é melhor... É melhor você se levantar. — gaguejei um pouco, sentindo que ela se sentava sobre o meu estômago, sem me machucar, mas bem perto dele. — Isso não era pra estar acontecendo... Por favor, eu...
— Professor Horan, o senhor realmente quer que eu me levante? Quero dizer, eu só te excitei a ponto de deixá-lo duro e não com desejo por mim? — ela perguntou quase ofendida.
Respirei fundo, fechando os olhos e tentando retomar minha consciência. Eu nunca havia escutado ela falar dessa maneira, nem com os garotos que ela saía aqui na escola. Era como se fosse outra pessoa, não uma menina, mas sim uma mulher. E isso estava me matando.
— (S/N), não é isso...
— Então o senhor me deseja? — ela aproximou o rosto do meu, deixando seus olhos (cor dos seus olhos) encararem profundamente os meus olhos azuis, como se estivesse tentando – e conseguindo – me persuadir. — Por mais que o senhor diga qualquer coisa... — ela disse, enquanto movia-se um pouco mais pra baixo, encostando a sua intimidade na minha e gemendo suavemente, enquanto uma onda de calor percorria minha espinha. — O seu amiguinho e eu estamos dispostos a ir muito além daqui, professor.
— (S/N), você não sabe o que está falando. — Respirei fundo pela décima vez, tentando tirá-la do meu colo. Sendo que com esse gesto ela pressionou mais seu corpo no meu, fazendo com que ambos gemêssemos. — Se você não parar, eu vou acabar fazendo algo que vamos nos arrepender depois... — admiti completamente extasiado com aquilo tudo.
— Vamos? Certamente não, professor Horan. — ela sussurrou mais sensual do que qualquer outra vez que tivesse dito aquelas duas palavras. — Eu não vou me arrepender de transar com você, até porque eu quero isso há muito, mas muito tempo, professor Horan. — repetiu, com a mesma voz sensual, percebendo que aquelas palavras surtiam um efeito assustador no meu corpo.
Agarrei forte em sua cintura.
— (S/N)...
— Cala a boca, professor. — continuou sussurrando, mordendo o lóbulo da minha orelha. — Tenho certeza que o senhor não irá se arrepender disso.
Ela ficou apoiada apenas em suas pernas e com suas mãos começou a acariciar meus braços expostos pela blusa social dobrada até os cotovelos, enquanto sentava-se sobre o meu quadril. Seus olhos seguiam o caminho de suas mãos, admirada com o que acariciava. Um sutil sorrisinho se formou em seus lábios e ela aproximou sua boca da minha, voltando seus olhos para os meus.
(S/N) encostou rapidamente seus lábios nos meus, rindo de leve enquanto passava a boca por todo meu rosto, descendo pelo meu pescoço e usando os dentes e a língua ali. Agarrei mais forte em sua cintura, fazendo meus dedos entrarem pela camiseta fina que usava e tocarem a pele delicada e macia que ela tinha.
Pude sentir que sorria contra o meu pescoço e suas mãos ficavam mais ousadas, descendo pelo meu peito e abdômen, tentando achar um modo de abrir os botões da minha camisa sem afastar nossos corpos. Percebendo que seria difícil, ela se sentou contra o meu quadril e começou a abrir os pequenos botões, mordendo o lábio inferior em expectativa.
Assim que ela conseguiu abri-la completamente, eu ajudei a tirá-la jogando para algum canto da sala. Suas unhas rasparam contra o meu peito, acariciando o pêlo macio dali e parecendo estar orgulhosa com o que via. Sorri de lado, admirado pela sensualidade e inocência que ao mesmo tempo ela tinha.
(S/N) se abaixou e logo começou a beijar minha clavícula, descendo seus beijos pelo meu peito, agarrando em meus braços. Pude sentir uma de suas mãos ir até o cós da minha calça e começar a desafivelar o cinto para em seguida abrir o botão e o zíper.
Eu me sentia a mercê do que quer que ela fizesse. Estava absurdamente bom demais ela estar no controle.
Mas não posso negar que se ela demorasse um pouco mais, teria que inverter as coisas.
— Você é exatamente como eu imaginava... — ela murmurou, entretida demais em passar a ponta dos dedos por alguns pêlos do meu abdômen. — Um pouco melhor, devo frisar — ela riu de leve, mordendo o lábio inferior e descendo sua mão pela minha boxer, empurrando um pouco a calça em minhas pernas para ter um acesso mais fácil. — E tenho certeza que é muito melhor aqui. — Ela me olhou intensamente, enquanto sua mão tocava delicadamente meu membro duro.
Gemi entre os dentes assim que senti a pele quente e macia de sua mão me tocar, começando a me masturbar lentamente. Um sorriso malicioso se formou em seus lábios e ela assentiu como se comprovasse que suas teorias eram certas.
Senti que ela ganhava mais velocidade com o tempo e em seguida seu rosto voltou a se aproximar de mim. Com um sorriso, ela grudou finalmente seus lábios aos meus.
Sua boca se abriu facilmente quando pedi passagem e logo uma de minhas mãos a segurava pela nuca, puxando-a mais pra mim, para que eu pudesse aproveitar desse momento que eu tanto esperava há meses. Seu gosto era doce, uma mistura de canela com menta. Exótico, mas perfeitamente delicioso.
Ela gemeu suavemente quando nossas línguas começaram a brincar entre si e logo intensificou mais o beijo, deixando-o rápido e ríspido, como se quisesse o máximo que pudéssemos dar.
Sua mão ia rápido em mim, causando-me sensações indescritíveis e maravilhosas, fazendo-me suspirar e gemer em sua boca. Pude sentir que ela parou o beijo e voltou a descer com sua boca em meu peito, fazendo um caminho longo e delicioso, até parar onde sua mão estava.
Ela me olhou sorrindo enquanto deixava minha boxer e calça nos meus joelhos, mantendo o ritmo de sua mão para logo em seguida tomar meu membro em sua boca.
Se sua mão era quente e perfeita em torno dele, eu tinha a mais absoluta certeza de que sua boca era cinco vezes melhor.
A língua de (S/N) lambeu a ponta tortuosamente, fazendo um caminho lento com ela até a base. Ela fez o mesmo caminho, de baixo para cima. Quando chegou novamente na glande, ela deu um sutil beijo e em seguida o tomou por completo em sua boca, aquecendo-me e satisfazendo o prazer doentio que eu estava sentindo no momento.
Colocando o máximo de meu membro em sua boca, ela começou os movimentos lentos de vai-e-vem, segurando na base e me masturbando no local aonde sua boca não chegava.
Tive que conter um gemido alto enquanto levava uma de minhas mãos para seus cabelos e guiava seus movimentos da maneira que eu gostava. Ela intensificou os movimentos na medida em que eu a guiava e logo aumentou as sucções, tirando-o e pondo-o na boca com um audível som de ploc.
Ela estava me enlouquecendo! Parecia que ela sabia cada ponto fraco meu, cada coisa que eu gostava e que ela nasceu para isso, de tão perfeita que era sua atenção pra mim. Seus dentes roçaram levemente em toda minha extensão e eu senti meu corpo se contrair, sabendo que se ela continuasse nesse ritmo eu não aguentaria por muito tempo.
— (S/N), é melhor você parar, eu vou... Eu vou... — gemi, agarrando um pouco mais forte em seus fios castanhos. — Eu vou acabar gozando na sua boca. — Ela tirou a boca de mim e sorriu, movendo seus dedos em todo meu comprimento.
— É exatamente isso o que eu quero, professor Horan — ela sussurrou, maliciosa, fazendo todos os pêlos do meu corpo se arrepiarem por completo. — Eu preciso sentir o seu gosto na minha boca.
Dito isso, ela voltou com seus lábios para o meu membro e começou a acariciar e apertar a minha coxa direita. E só com suas palavras e mais alguns movimentos em sua boca senti meu corpo queimar e se contrair ainda mais, fazendo com que rapidamente eu gozasse dentro de sua boca, como havia pedido.
(S/N) lambeu-o todo, não deixando escapar um centímetro de pele em sua boca, limpando tudo, até a última gota.
Minha respiração estava errática, meu coração acelerado e o calor em meu corpo só se tornou mais forte depois disso. Mesmo ela tendo me dado todo esse trato, eu ainda sentia um desejo irreversível por ela.
Suas mãos subiram pelo meu corpo, assim como ela própria que parou deitada sobre meu corpo, beijando meu peito e clavícula, sorrindo contra mim.
— Eu disse que não ia se arrepender... — murmurou próximo do meu ouvido. — E espero que não se arrependa do que irá ver agora também.
Dito isso, ela se levantou e me puxou junto, deixando que eu arrumasse minha boxer e a calça para segui-la até a minha mesa.
À minha frente ela ia rebolando, fazendo seu quadril ir lentamente de um lado para o outro, acompanhado por sua perfeita bunda empinada e volumosa, quase me deixando aceso só com essa visão de suas costas.
(S/N) segurou em minhas mãos e me fez sentar sobre minha mesa, enquanto mantinha um pequeno sorriso nos lábios. Seus olhos castanhos suavemente maquiados brilhavam de desejo e expectativa.
— Acho que o senhor não tem noção do quanto essa mesa me excita, professor Horan — ela disse cuidadosamente, enquanto se afastava quatro passos à minha frente. — E eu espero que o que eu vá fazer agora o deixe dessa mesma maneira.
Com o mesmo sorrisinho, ela encarou meus olhos azuis e levou suas duas mãos para os pequenos botões brancos da camisa, abrindo-os um de cada vez e revelando o sutiã preto rendado, onde abrigava imensos seios para uma garota de sua idade. Eles estavam cheios sobre o bojo, deixando boa parte daquela pele macia aos meus olhos.
A camisa caiu ao seu lado e ela desviou os olhos dos meus, para dar total atenção ao zíper lateral de sua saia. Essa peça caiu em um baque surdo no chão, deixando à mostra sua pequena calcinha de malha vermelha com as laterais finas, marcando bem sua cintura e deixando-a mais sexy ainda.
Ela levantou um dos pés, arrancando sutilmente a sapatilha e logo fazendo o mesmo com o outro. (S/N) parou com suas mãos ao lado do corpo e voltou a me olhar, com um sorriso malicioso nos lábios, enquanto me deixava encarar cada parte de seu corpo esculpidamente perfeito.
Seios fartos e bonitos, barriga lisa e definida, cintura fina, pernas grossas e uma tatuagem de duas cerejinhas sob a pequena tira de sua calcinha, na lateral direita. Perdi um pouco a respiração, achando aquilo ridiculamente sexy e voltei a olhar seus olhos.
— Gosta do que vê? — perguntou baixo, enquanto andava lentamente até mim.
Não consegui responder. Eu estava hipnotizado enquanto a observava se aproximar de mim, como uma gata, lenta e sensual, tentando novamente me persuadir com todos esses atributos. E novamente, conseguindo.
— Professor Horan, o senhor por acaso está... Decepcionado?
Encararei seu rosto e percebi que ela sorria e que sua frase era apenas para conseguir arrancar alguma resposta da minha boca.
— Não. — senti minha voz sair baixa e lentamente, enquanto minha respiração acelerava a medida que ela ia se aproximando. — É que você é...
— Eu sou...? — ela parou na minha frente, deixando seu corpo entre as minhas pernas.
— Perfeitamente gostosa. — soprei a frase, encarando seu colo cheio e me sentindo absurdamente excitado por vê-la seminua.
— Isso também é gostoso? — encarei seus olhos, não compreendendo o que ela havia dito até ela pegar uma de minhas mãos e guiá-la até seu seio esquerdo, apertando-o em seguida.
Não pude resistir mais àquela provocação. Levei minha mão livre até a sua nuca e a puxei pra mim, grudando meus lábios em seu pescoço e começando a morder e beijar àquela região, enquanto minha mão trabalhava veemente em seu seio.
Ela gemeu agudamente quando sentiu que eu puxava sem delicadeza alguma o bojo, revelando seu mamilo rosado e endurecido pela atenção. Desci mais minha boca, abocanhando àquela parte sensível e chupando-o fortemente.
— Oh, Deus... — ela murmurou, enquanto agarrava em meus cabelos. — Por favor, continue professor Horan.
E eu não parei. Com a mão que estava em sua nuca, eu levei para o meio de suas pernas e pressionei meu dedo indicador sobre seu clitóris coberto, arrancando outro gemido alto de sua boca. Prendi seu mamilo entre meus dentes e deixei minha mão ficar sob o pano vermelho de sua calcinha, masturbando-a sem nenhuma interrupção.
Pude sentir que ela ficava nas pontas dos pés, mesmo não precisando, apenas por reflexo ao prazer que eu dava a ela.
Massageei seu clitóris com meu indicador e introduzi meu dedo médio em seu interior, arrancando outro gritinho prazeroso de sua boca. Olhei pra ela, percebendo que ela tinha os olhos fechados e mordia o lábio inferior, deliciada com tudo aquilo.
Sorri, enquanto levava minha mão até a sua nuca e agarrava a raiz de seu cabelo, puxando-a para mim para um beijo. Mas ao fazer isso, percebi que ela estremeceu e gemeu, contraindo-se envolta dos meus dedos, como se o beijo fosse a última gota para o seu prazer máximo.
Ela separou seus lábios dos meus e me encarou sem fôlego, segurando em minha mão que antes a masturbava e levando-a até sua boca, lambendo lentamente meus dedos molhados de seu gozo, passando sua língua por toda a extensão e chupando fortemente. A todo o momento ela me fitava intensamente e eu me sentia a ponto de gozar de novo só de olhá-la fazer isso.
(S/N) me fitou sorrindo e me beijou, enroscando sua língua com a minha e fazendo com que eu sentisse seu gosto em minha boca. Enquanto fazia isso, suas duas mãos desceram para minha calça e com minha ajuda, tirei os tênis e as meias, assim como a calça e a boxer, deixando de qualquer maneira no chão.
Ela fez o mesmo com o seu sutiã, tirando-o e deixando-o cair ao chão com sua calcinha, ficando perfeitamente nua na minha frente e quase fazendo-me babar com seu corpo jovem e lindo.
Na verdade a única coisa que ela vestia eram as meias que de malha que iam até o meio de suas coxas, mas aquilo nem de longe atrapalhava o que eu queria fazer com ela. Na verdade até melhorava.
Antes que eu pudesse pensar, ela pegou sua saia caída perto das carteiras escolares e tirou de dentro do bolso um pacote de camisinha, vindo até mim e colocando sabiamente aquele objeto em meu membro.
— Você tinha tudo planejado? — perguntei rapidamente, enquanto ela pulava na mesa e sentava-se sobre minhas coxas.
— Sou apenas prevenida, professor Horan.— ela sorriu esperta.
E antes que eu pudesse ao menos desconfiar, ela postou meu membro em sua entrada e fez com que eu a penetrasse, sentindo seu interior quente e apertado rodear meu membro lentamente, fazendo com que um gemido escapasse pela boca de nós dois.
Suas mãos agarraram meu ombro e as minhas sua cintura, ajudando (S/N) a movimentar-se sobre o meu corpo. Ela ia devagar, como se estivesse tentando se adaptar com o tamanho em seu interior. Seus olhos estavam fechados fortemente e ela mordia o lábio inferior, tomando impulsos para movimentar-se gradativamente mais rápido em mim.
Eu nem ao menos conseguia lembrar que estávamos em uma mesa que dava em frente à porta de entrada e a única coisa que me aliviava era o fato de supostamente sermos apenas nós dois nessa escola, escapando um pouco a idéia de sermos flagrados.
Mas enquanto (S/N) cavalgava habilmente sobre meu membro, eu não conseguia pensar em mais nada a não ser no quão perfeita estava sendo com tudo aquilo. Minhas mãos em seu quadril a ajudavam a rebolar circularmente em meu colo, dando prazer a nós dois com esse atrito.
Ela gemia baixinho, quase de maneira inaudível, feito uma gata enquanto agarrava forte em meus bíceps. Seus olhos castanhos estavam abertos em uma fresta e eu os podia ver mais escuro de desejo, me excitando ainda mais apenas com seu olhar predatório.
— Oh, Niall — ela gemeu meu nome e eu senti uma corrente elétrica pelo meu corpo, não sabendo se era mais excitante a ouvir me chamar de professor Horan ou de Niall. — Isso é tão bom... É tão bom... — Ela jogou a cabeça para trás, me dando a completa visão de sua garganta e peitos, como se pedisse para que eu atacasse aquelas áreas com minha boca.
Passei vagarosamente minha língua por cada lugar, enlouquecendo com seu gosto, uma mistura de suor limpo e o de sua pele, que era maravilhoso. Meus dentes beliscavam seus mamilos, um de cada vez, enquanto eu a sentia chegar a cada vez em um ponto mais alto de prazer.
— Eu vou... Oh, Niall... Eu vou gozar! — ela disse, em um tom de voz completamente excitante, enquanto gemia alto, agarrando ainda mais forte os meus braços.
Eu estava me segurando para não fazer o mesmo, sentindo seu orgasmo forte como se não tivesse tido um há pouco tempo atrás. Por mais que eu confiasse no meu taco, eu não sabia se aguentaria gozar novamente e estar disposto a mais, porque Deus, eu precisava de mais.
(S/N) deitou sua cabeça em meu ombro, ofegando fortemente contra minha pele e sorrindo um pouco. Afaguei seus cabelos e beijei seu rostinho.
— Não foi tão bom pra você como foi pra mim, professor Horan? — ela perguntou, meio intrigada enquanto eu me levantava com ela. — O que está fazendo?
— Você disse que a minha mesa te excitava — falei lentamente, enquanto a guiava até o quadro negro e a deixava de costas para mim, espalmando suas mãos contra o quadro limpo. — Eu também tenho minhas fantasias, (S/N).
Pude senti-la estremecer e gemer baixinho enquanto eu falava, logo em seguida me postando atrás dela e penetrando-a novamente, enquanto a abraçava pela barriga, unindo ainda mais seu corpo ao meu.
Agora minhas investidas tinham que ser longas e profundas, conseguindo explorá-la ainda melhor do que quando ela me cavalgava. Com certeza ela percebeu o mesmo, já que gemia descontroladamente, dizendo palavras desconexas a cada investida.
— Mais forte... Isso, Niall.— ela gemeu, agarrando em minha mão que abraçava sua cintura e guiando-a até o meio de suas pernas, fazendo-me masturbá-la enquanto penetrava cada vez mais forte como havia pedido.
Encostei minha testa em suas costas, beijando aquela região, enquanto movimentava-me cada vez mais forte nela. Eu sabia que não demoraria muito e com mais três longas e fortes estocadas me esgotei completamente, a sentindo vir comigo e agarrando-a na altura do estômago, deixando minha testa contra o seu ombro, ouvindo sua respiração pesada como a minha.
Afastei-me dela o suficiente para me livrar da camisinha e a virei pra mim, encarando seus olhos (cor dos seus olhos) brilhantes que sorriam juntamente com seus lábios. Sorri de volta, encantado com ela, enquanto sentia seus braços sobre meus ombros e suas unhas na minha nuca, causando um arrepio gostoso no meu corpo.
— Espero que eu tenha aprendido direitinho, Niall. — sussurrou perto dos meus lábios, sorrindo de lado enquanto mordia-os suavemente.
— Você foi bem, mas ainda não é aluna nota A, senhorita (S/N). – disse maldosamente e ela abriu um sorriso pra mim, rindo. – Acho que precisamos estudar um pouco mais essa matéria, não acha?
Ela só mordeu meu lábio e olhou fundo nos meus olhos.
- Aulinha particular? 


FIM


Niall seu safadenhoo uashuas :33 Niall girl's *o* genteee uahau

Imagine Hot Louis Tomlinson (Com Gifs)

|| || 25 comentários ||


Louis : Eu te amo
Você: Eu te amo mais
Louis : Quero sexo
Você: Só promete uma coisa?
Louis: O que ?
Você : Vai ser muito muito gostoso ?
Louis : Sempre é
Você: Não acredito que eu disse isso
Louis : Já disse , não tem como fugir - ele disse beijando meu pescoço
Você: Louis , sua mãe e sua irmã estão em casa - disse com uma voz meio tremula
Louis : Elas não vão se incomodar - ele disse passando a mão por dentro da minha blusa e ainda beijando meu pescoço
Você: Louis é serio
Louis : Ta ta - ele levantou reclamando indo em direção a porta do quarto


Louis : Mããe - ele gritou
- Que ? - ela gritou do andar de baixo
Louis : Você precisa ir no mercado - ele disse ainda gritando
- Para que garoto ? - ela gritou
Louis: Para comprar .... éé .... espinafre .. é isso .. Espinafre
- : Pra que você quer espinafre ?
Louis: Ué , por que eu estou com desejo de espinafre ... E vai naquele mercado que é muito longe , sabe ? Aquele que vive lotado
- Pra que se tem um mercado aqui na esquina?
Louis: Ué , por que o espinafre de la é melhor , ei mãe por favor - ele disse ainda gritando encostado na porta do quarto
-: Eu vou sair por que eu preciso resolver um negocio e não para comprar um espinafre.
Louis : Minha irmã vai junto ?
-: Vai, tchau


Ele fechou a porta do quarto com um sorriso vitorioso no rosto e eu o olhei tentando segurar a risada , ele ficou em cima de mim , beijando meu pescoço e me dando leves chupões.(http://25.media.tumblr.com/tumblr_m7eeldKRQB1rrbbgco1_500.gif)

Você : Louis... - eu disse quase gemendo
Louis: Fica quietinha
Você: Pra que ?
Louis: só ouve - ficamos em um silêncio e ouvimos a porta se fechando ele deu um sorriso safado
Louis: Agora podemos começar a festa - ele disse arrancando minha blusa


Ele olhou para os meu peitos ainda com sutiã e mordeu os lábios , eu subi em cima dele e comecei a fazer vai e vem ainda com roupa o deixando exitado , ele dava leve gemidos , eu passei minhas mãos por dentro de sua blusa dando leves arranhões em sua barriga , ele começou a me beijar loucamente em quanto tentava achar o fecho do meu sutiã .(http://24.media.tumblr.com/tumblr_m7eg0trYvd1rrbbgco1_500.gif)

Louis : Porra da próxima vez vem logo sem sutiã
Você : Cala a boca e volta em beijar - eu disse o puxando para um beijo


Fui tirando sua calça e o volume de sua cueca já era enorme , passei a mão fazendo vai e vem para provoca-lo em quanto ele apertava forte minhas coxas , arranquei sua cueca e ele fez o mesmo com o meu short e tirando minha calcinha com a boca, ainda em cima dele estiquei minha mão para pegar sua carteira na escrivaninha ao lado da cama.


Você: Cade a camisinha ?
Louis: Nessa parte maior

Você: Menta , morango e chocolate , serio isso Louis Tomlinson?
Louis: Cala a boca e escolhe logo uma que meu pênis vai explodir de tanto tesão


Peguei a de menta em quanto ele apertava minhas coxas e me olhava impaciente .


Louis : Foda-se isso - ele disse pegando a camisinha e tacando no chão - vai ser sem camisinha mesmo


Ele disse ficando por cima de mim e enfiando com força , eu gemia alto , cada vez ele ia aumentando a velocidade e eu gemia cada vez mais alto em quanto segurava na cama.(http://25.media.tumblr.com/tumblr_m7ex88Iits1rtafero1_500.gif) subi em cima dele assumindo o controle e comecei a rebolar em seu pênis , ele gemia em quanto apertava minhas coxas com muita força.(http://24.media.tumblr.com/tumblr_m7f5km7l6A1rrvyrqo1_500.gif)
Louis: que gostosa , não para - ele disse gemendo


Fui beijando o corpo dele todo até chegar em seu pênis dei um sorrisinho sapeca e lambi a cabecinha o deixando mais excitado , enfiei tudo na boca fazendo movimento de vai e vem , ele pressionava minha cabeça deixando na velocidade que ele queria , ele gozou um pouco e eu engoli , quando senti que ele ia chegar ao orgasmo eu parei e mordi os lábios olhando para ele , ele me puxou para cima ficando por cima de mim , abriu minhas pernas e lambeu em volta da minha " amiguinha " , ele enfiou a língua e começou a fazer movimentos circulares e as vezes dando uma leve chupadinha , ele segurava em minha cintura a puxando para contra sua boca , eu segurava na cama e gemia contorcendo um pouco o corpo , ele enfiava a língua em quanto me masturbava.(http://25.media.tumblr.com/tumblr_m7e5e6c9s61rabh7do1_500.gif) – (http://25.media.tumblr.com/tumblr_m7e3ctyGHH1r7lczwo1_400.gif)
Quando eu estava muito cansada o puxei pelo cabelo para cima e ele voltou a enfiar tudo em mim , arranhava as suas costas de tanto tesão , ele começou a chupar meus peitos e eu fechava os olhos de tanto tesão , ele esfregou seu pênis entre os meus peitos , em movimentos lentos e ao mentando a velocidade , ele estava todo suado e muito sexy , voltou a enfiar em mim só que mais lentamente , para sentirmos o momento , foi a aumentando a velocidade até chegarmos ao orgasmos , ele se deitou ao meu lado tentando recuperar o folego em quanto olhava para o teto , ambos assim .


Louis : Eu te amo
Vc : Eu te amo mais - ele sorriu - viu o que você faz comigo , me deixa totalmente cega de amor
Louis: È a mesma coisa que você faz comigo , então estamos empatados
Vc : Seu idiota a gente fez sem camisinha , se eu pegar doença a culpa é tua e eu te mato
Louis: Eu sou um menino limpinho e saudável - ele riu
Vc : Se eu ficar gravida a culpa é tua
Louis : Não tem problema , é a coisa que eu mais quero nesse mundo - ele disse me puxando para mais perto dele e me dando um longo selinho
Vc : Minha mãe te mata
Louis : Não tem problema- risos- eu nunca fui o preferido dela mesmo
Vc : E talvez nunca vai ser -risos -
Louis: Mas e da filha ?
Vc : Talvez princeso , talvez
Louis: È muito bom ouvir você me chamando assim de novo , nada com um prazer gostoso - ele riu
Vc : Idiota - dei um tapa de leve nele e ele me beijou
Louis : Sabia que de todas que eu fui pra cama , você foi a melhor sem duvida
Você : Fala isso pra todas
Louis : Na verdade não -risos- quando eu acabo meu " serviço " eu me levanto e vou embora , só você mesmo que me faz ficar conversando depois do sexo
Vc : Besta
Louis : Foi tão bom quanto a nossa primeira vez
Vc : Eu estava com muita vergonha meu deus , eu devo ter sido horrível
Louis: Foi perfeita - ele sorriu - e você foi a primeira menina que me fez ficar nervoso , eu só pensava " meu deus que perfeita " " que gostosa " " será que ela esta gostando ?" " cara , eu to amando "
Você: besta -risos - eu só pensava " Será que eu to fazendo isso certo? " " que gostoso " mas na maioria do tempo eu pensava " Será que eu estou bonita ? "
Louis : Por que você ficava pensando se estava bonito ou não ?
Você: Vai que eu estivesse horrível , você ia perder o desejo -risos -
Louis: Idiota -risos- mas respondendo sua pergunta , você estava linda , a mais linda que eu já vi - ele me deu um beijo na testa
Você: Mentiroso - disse cantarolando

Ele me beijou , era um beijo calmo , apaixonado , nossas línguas dançavam em nossa boca em quanto minha mão brincava com seu cabelo . 

FIM


As Louis Girl's vão adora esse (eu adorei sabe aushass) :33 vou posta com o niall e depois liam